Pesquisa de mercado: como pode alavancar seu negócio

Para uma empresa que busca ser mais competitiva, é fundamental fazer uma pesquisa de mercado. Afirmando de outra maneira, não conhecer as forças e fraquezas dos competidores é colocar a sua própria empresa de olhos vendados em uma competição acirrada. Onde é necessário estar atento a todos os movimentos.

pesquisa de mercado

Quando foi a última vez que sua empresa analisou o seu mercado?

O conhecimento que sua empresa possui sobre os concorrentes, os consumidores, as tendências e tudo o que compõe o mercado está atualizado?

Vamos nesse artigo abordar sobre a importância e os meios para analisar o mercado e aumentar a competitividade.

 

POR QUE PESQUISAR O MERCADO?

 

A atual dinâmica do mercado tem exigido dos administradores e gestores frequentes tomadas de decisões. E essas decisões estão cada vez mais complexas! Devido, principalmente, à quantidade de variáveis envolvidas e ao aumento das informações que devem ser estudadas. E sabemos que o custo de uma decisão mal tomada é altíssimo. Podendo, até mesmo, por em risco a saúde da empresa.

Daí surge a importância de realizar uma pesquisa de mercado:

Mais do que estar parcialmente atualizado, possuir estudos aprofundados sobre o mercado de atuação da empresa tornam as decisões mais fundamentadas e aumentam as chances de sucesso.

Realizar uma pesquisa de mercado, portanto, não deve ser considerado um luxo para poucas empresas. Ou uma atividade supérflua ou secundária. É algo de extrema importância para abrir a visão dos empreendedores e gestores e conduzir os negócios na direção correta.

Outro fator importante quando se trata de fazer uma pesquisa de mercado é que as informações coletadas e analisadas colaboram para direcionar os esforços da empresa. Principalmente a fim de se diferenciar no mercado e ofertar soluções mais adequadas aos consumidores.

Quando há um conhecimento mais claro e atual sobre os concorrentes, a empresa consegue identificar quais são as suas próprias fraquezas. Como em quais aspectos ela está sendo ultrapassada, por exemplo. E quais são as suas forças, podendo intensificar ainda os seus diferenciais.

 

ANÁLISE DE CLIENTES E INOVAÇÃO

 

Quando os seus clientes realmente são conhecidos, é possível oferecer soluções mais adequadas. Além de possuir uma abordagem comercial mais eficaz e realizar ações de marketing que realmente surtem efeito. Tão importante quanto conhecer os concorrentes e os clientes é ter um conhecimento atualizado sobre as tendências. Tanto do seu mercado quanto das oportunidades e os riscos que podem surgir.

A alta competitividade está também relacionada com a capacidade da empresa de inovar e de aproveitar bem as oportunidades que mercado oferece. Sua empresa quer ir além e obter resultados ainda mais interessantes? Quer se tornar mais competitiva? Ela pode monitorar o mercado ao invés de apenas analisá-lo esporadicamente.

Sabendo que atualmente o mercado está mudando com uma velocidade muito grande e que as oportunidades surgem e passam rapidamente, muitas empresas tem optado por um monitoramento contínuo do mercado. Isso tudo para aproveitar todos os movimentos favoráveis e para responder como mais agilidade às ameaças.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: Potencial de mercado: como calcular e analisar.

Controle de gastos empresariais: saiba como fazer

Um bom controle de gastos empresariais é fundamental para o sucesso de todo empreendimento. E o contrário pode ser dito:

Ema empresa que não controla corretamente os seus gastos pode enfrentar dificuldades financeiras e isso refletirá no negócio como um todo.

controle de gastos

 

 

A falha, em grande parte dos casos e principalmente em micro e pequenas empresas, está objetivamente na falta de controle, de gestão. Ou seja, os gastos existem, os sócios e gestores têm conhecimento de sua relevância. Mas há gargalos no que diz respeito ao controle dessas saídas de dinheiro.

 

A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DE GASTOS EMPRESARIAIS

 

No dia a dia de uma empresa uma série de recursos é utilizada, movimentada, contratada, adicionada e removida. De maneira mais objetiva, recursos financeiros transitam pela empresa, entrando e saindo. No que diz respeito às saídas financeiras, em particular os gastos para manutenção, produção e crescimento da empresa, é fundamental o controle bem apurado. Porém, essa mesma dinâmica agitada do cotidiano traz desafios para o controle financeiro. São documentos e informações que precisam ser registrados. Além de gerenciados para que tudo permaneça organizado e trabalhe a favor dos objetivos organizacionais.

Podemos dizer, de maneira ampla e simples, que são 3 as ações que precisam ser tomadas continuamente com relação ao controle de gastos:

Controlar as movimentações e identificar os gastos: todo tipo de movimentação financeira da empresa deve ser controlada e, dentre elas, os gastos devem ser identificados;

Registrar todos os gastos: tudo o que for identificado como um gasto deve ser devidamente registrado, preferencialmente com informações detalhadas, como data, classificação, origem, entre outras.

Analisar os gastos da empresa: não basta identificar e registrar os gastos para realizar um controle efetivo. É preciso periodicamente analisar os dados e números e identificar oportunidades de melhorias.

A partir desses 3 passos, é possível realizar uma análise em sua empresa e identificar onde está o ponto falho do controle de gastos. Está na identificação e controle? Ou estaria no registro correto das informações? Ou talvez no uso das informações registradas para realizar boas análises?

 

MANTENHA A ORGANIZAÇÃO E O CONTROLE

 

Podemos concluir que para um efetivo controle de gastos empresariais é fundamental possuir processos financeiros bem definidos. Além de utilizar as ferramentas e sistemas adequados. E esses processos devem estar adequados à realidade atual da empresa.

Para uma empresa trabalhar com eficiência e eficácia, é preciso haver harmonia e integração entre todas as pessoas, departamentos, atividades e objetivos. Trata-se de um organismo vivo em que tudo está interligado. E as ações (ou omissões) de uma pessoa ou departamento afetam diretamente outras pessoas e setores da empresa.

Os gastos da empresa são gerados por departamentos e pessoas diferentes. Ainda que o departamento financeiro seja o responsável direto por seu controle, é fundamental que exista consciência em toda a empresa sobre a importância de todas os gastos e despesas serem devidamente registrados e organizados.

 

PLANEJAMENTO FINANCEIRO

 

Outro fator fundamental para o controle de gastos é possuir um bom planejamento financeiro. Não basta saber quanto a empresa gastou. É preciso haver uma determinação de quanto a empresa pode gastar e o quanto está gastando. Além do que pode ter colaborado para uma diferença entre o montante previsto e o realizado, seja essa diferença positiva ou negativa. Vale aqui ressaltar ainda a importância de um bom controle e gestão do fluxo de caixa.

Vale ressaltar que o planejamento financeiro não deve ser feito em um momento específico e depois deixado de lado, mas continuamente deve ser revisado. Normalmente o último trimestre do ano é utilizado pelas empresas para realizar o planejamento financeiro do ano seguinte. Se for necessário, sua empresa pode recorrer ao auxílio de um consultor empresarial.

 

RELATÓRIOS PARA CONTROLE DE GASTOS

 

Uma vez que as informações são registradas e os gastos identificados, e isto feito através de processos bem definidos, e tendo como referência um bom planejamento financeiro, é preciso investir em boas análises para identificar gargalos e não deixar o dinheiro escapar desnecessariamente. Se a empresa estiver utilizando um sistema de gestão financeira, como um ERP, encontrará relatórios que permitam avaliar a situação. Se todo o controle for realizado através de planilhas eletrônicas, com algum esforço é possível criar relatórios que demonstrem informações importantes.

Esses relatórios e análises visam dar uma visão clara e realista da situação financeira da empresa para os sócios e gestores. Servem também para embasar e orientar planos de ação para reduzir os gastos empresariais. E até mesmo para apontar falhas na operação do negócio. Gerenciar a empresa e as finanças com base em dados concede ao negócio mais solidez e competitividade.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: 5 dicas para uma boa cotação de preços.

Consultoria organizacional para alavancar um negócio

Toda empresa precisa se adaptar e inovar para continuar competitiva no mercado. Essa adaptação e inovação é também uma evolução. Todos os dias as empresas e organizações precisam trabalhar para ser melhor do que o dia anterior.

consultoria organizacional

Do contrário, logo se tornará uma empresa ultrapassada e verá o seu nível de competitividade em queda. Além da necessidade natural de adaptação, há ainda um fator a ser considerado que é próprio dos tempos atuais:

As mudanças estão ocorrendo muito rapidamente!

E isso exige das empresas não apenas disponibilidade para mudanças constantes, mas também flexibilidade e revisão contínua do modelo de negócio, dos produtos e serviços, da estratégia e das práticas de gestão adotadas.

Tudo isso, porém, não ocorre em um momento de pausa da empresa: é em meio a todas as demais obrigações! Como captar novos clientes e vender, manter os clientes atuais, pagar contas, gerenciar os funcionários, e tantas outras atividades que os administradores, gestores e líderes devem trabalhar para aperfeiçoar o seu negócio. E conciliar todas essas atividades não é tarefa fácil. É nesse momento que surge o auxílio da consultoria organizacional. O trabalho de uma consultoria organizacional não é algo à parte do dia-a-dia da empresa e tampouco uma atividade a ser terceirizada. Trata-se de uma parceria estabelecida entre a empresa de consultoria e a pequena empresa interessada em crescer.

O consultor organizacional não é um profissional que assume as atividades gerenciais e estratégicas da sua empresa em forma de terceirização. Nem serve para tirar de sua empresa a obrigação ou responsabilidade de realizá-la. É aquele que trabalha em conjunto com a sua empresa para somar e multiplicar em favor dos objetivos definidos.

planejamento sincronizado

É nesse trabalho conjunto, unindo o conhecimento e as experiências do consultor e do cliente, que as soluções surgem, o resultado é alcançado em um menor tempo e os negócios são impulsionados. Por isso dizemos que uma consultoria organizacional é para a pequena empresa que deseja crescer e se aprimorar, e que aceita essa ajuda que os consultores podem oferecer.

 

UMA PEQUENA EMPRESA PODE CONTRATAR UMA CONSULTORIA ORGANIZACIONAL?

 

Um engano comum dos empresários e gestores é acreditar que consultoria organizacional é algo restrito apenas para grandes empresas. Ou até para empresas com bastante recursos financeiros para investir. Isso não é verdade.

Atualmente é totalmente possível e viável para uma pequena empresa contratar uma consultoria organizacional e contar com o auxílio, presença e experiência de consultores que podem colaborar para o desenvolvimento do seu negócio. É fundamental, porém, que o empresário certifique-se de que essa empresa de consultoria possui, de fato, experiência no atendimento de empresas no porte, condições e características de sua empresa. Pois assim como há no mercado muitas pequenas empresas e cada uma possui a sua realidade e objetivos, o mesmo pode-se dizer quanto às empresas de consultoria organizacional.

 

INVESTIMENTO NA PRÓPRIA EMPRESA PARA ORGANIZAR E CRESCER

 

Outro fator importante é ter em vista que contratar uma consultoria organizacional é um investimento na própria empresa. Portanto, não se trata de apenas mais uma despesa ou conta a pagar. Quando a contratante enxerga a consultoria dessa forma, há grande chance de o trabalho não ser realizado com sucesso. E tampouco obtém-se um resultado fabuloso em pouquíssimo tempo.

cotação de preços

Assim, ao contratar uma consultoria organizacional, tão mais importante do que ter em vista a situação atual da pequena empresa, é ter diante dos olhos o futuro esperado para a empresa. De certo a consultoria trabalhará para que sua empresa alcance melhores resultados desde já. No entanto, os efeitos do trabalho serão sentidos principalmente com o passar do tempo.

Esse material foi desenvolvido para ajudar os empresários e gestores a compreender como funciona o trabalho de uma consultoria organizacional . Além dos benefícios de contratar esse serviço e como tomar a melhor decisão.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: Comunicação interna: 5 dicas para aperfeiçoar na empresa.

Análise de mercado: como conhecer clientes e concorrentes

O planejamento  é indispensável para tomar ações importantes em qualquer segmento, independentemente do nicho em que o empreendimento atue. Vale ressaltar que, diante do turbulento cenário econômico que o Brasil vem atravessando, toda e qualquer atividade comercial está sujeita a enfrentar os impactos. Estes são causados por mudanças abruptas no comportamento de seu público consumidor, cada vez mais receoso e cauteloso para gastar. Daí a importância de uma análise de mercado aprofundada.

O mesmo vale para acompanhar de perto a tendências de seus principais concorrentes: o momento exige total atenção na disputa por novos clientes e também pela fidelização do público. Na corrida pelas melhores condições para aquisição de seus produtos e bens, o público, então fragilizado pela inflação e pela diminuição de seu poder de compra, não poupará esforços para encontrar preços mais atrativos, assim como benefícios e vantagens.

Um dos meios mais assertivos e concisos para reunir dados sólidos e acompanhar o mercado de atuação de sua empresa é a análise de mercado.

 

UM OLHAR APURADO SOBRE O MERCADO ATUAL TRAZ MAIS CHANCES DE SUCESSO

Imagine um cenário que seu mix de produtos conte com itens de potencial comercialização em picos de sazonalidade. A exemplo da volta às aulas ou o Dia das Mães, por exemplo. Como saber se seu cliente está disposto a comprá-lo nas condições e preços oferecidos por sua loja?

Sem as informações e dados necessários para avaliar a demanda por seus produtos e a oferta da concorrência, qualquer ação tomada pode acarretar um desequilíbrio ainda maior nas vendas e conversões. Avaliando os produtos mais procurados pelo público, sua loja poderá compreender as preferências do consumidor e agir. Assim, disponibilizando e evidenciando os itens de seu catálogo que estão em alta nas pesquisas.

Dessa forma, medidas como a formação do preço, ações de marketing e também de vendas, como a elaboração de promoções e ofertas terão um alcance maior. Todos sempre pautados nas preferências e demandas reais do consumidor.

Vale lembrar que seus concorrentes mais atentos tendem a seguir o mesmo padrão, investindo nos produtos de maior procura e saída. Com o auxílio da análise de mercado, até mesmo as ações dos concorrentes podem ser monitoradas. Isso da seu negócio maiores chances de competir com preços e disponibilidades mais realistas.

Ao analisar as medidas da concorrência, pode-se calcular de forma apropriada quais serão as estratégias de aproximação com o público. Por exemplo, otimizando estoques e flexibilizando preços de acordo com as reais possibilidades de lucro.

analise de mercado

É preciso avaliar com atenção e realismo a abrangência de suas ações mais agressivas. Isso sem prejudicar sua receita atual com um confronto de preços mal planejado. E evitar também atrasos e imprevistos no atendimento ao cliente final, que pode prejudicar a imagem de sua marca.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: Oportunidade de negócio: saiba como identificar.

Estudo de mercado: por que é indispensável

Segundo dados da Associação Brasileira de Startups, existem quase 5 mil startups registradas no Brasil e a tendência é que esse número aumente exponencialmente nos próximos anos. Todos esses novos negócios possuem algumas propriedades em comum, que diferenciam uma startup de outro tipo de empresa. São características como modelo enxuto, negócio escalável e alto potencial de crescimento. Mas a principal propriedade de uma startup é apresentar um conjunto inovador com ideias de serviços e produtos que ainda não estão disponíveis.

Pesquisa e mais pesquisa

 

Para isso, o empreendedor precisa investir dias e noites buscando informações sobre o mercado. Estudar os possíveis clientes (e empresas que podem futuramente ser concorrentes) e especialmente conhecer a fundo as dores do público-alvo. Porque nenhuma ideia ‘brilhante’ se sustenta no mercado se não resolver um problema, reduzir custos, alavacar resultados ou agilizar o dia a dia do cliente – sem isso, a inovação do projeto é inócua.

Esse estudo é fundamental na fase de planejamento do negócio e deve ser contínuo na vida da empresa. No primeiro ano, quando a startup ainda está se especializando no seu nicho e o produto está em desenvolvimento, é importante que o empreendedor conquiste os primeiros clientes como parceiros de aprendizagem. A moeda de troca pode ser um desconto durante um certo período, por exemplo.

Esta parceria impulsiona a identificação das necessidades mais relevantes e oportunidades para o mercado consumidor, direcionando o desenvolvimento do produto. Passado algum tempo após o lançamento e com a continuidade no estudo de mercado fica claro que o produto deve ser inovado frequentemente para manter seus diferenciais e fidelizar os clientes conquistados, evitando a perda de clientes.

estudo de mercado

 

Escute os clientes

 

A todo momento a participação dos clientes é essencial. Proporcionar a troca de experiências e receber feedbacks são duas medidas que acarretam melhorias significativas no produto. Afinal, os clientes percebem problemas que, muitas vezes, podem ser resolvidos rapidamente.

Existem algumas formas diferentes para solicitar o feedback, que vão muito além da pesquisa de satisfação. Pode ser usado um portal online onde clientes, parceiros e até mesmo colaboradores podem deixar sua sugestão e contribuir para a melhoria do produto. Também é importante mensurar o quanto os clientes estão dispostos a promover a empresa. Para isso, o NPS (Net Promoter Score) é uma ferramenta gerencial muito importante para o empreendedor.

 

Perseverança e alinhamento

 

Estudar o mercado é o primeiro passo para lançar um novo produto. Mas também é válido destacar a importância da persistência em um produto no qual os sócios da startup devem acredita. E valorizar o potencial de crescimento! Os primeiros anos são difíceis e geralmente não há retorno financeiro. Entretanto, se as expectativas dos envolvidos estiveram alinhadas e toda a equipe trabalhar para chegar no objetivo final, certamente a empresa deixará de ser um laboratório de ideias para se estabelecer no mercado de maneira realmente inovadora.

Para os empreendedores é fundamental nos primeiros anos o autoconhecimento. Como o entendimento dos seus valores, que somados integrarão os valores da empresa. O sucesso de uma startup soma os resultados que entrega para o mercado à cultura construída no negócio a partir dos valores.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: Potencial de Mercado: como calcular e analisar.

 

Como estruturar uma empresa: dicas para o sucesso

Saber como estruturar uma empresa e realizar as ações necessárias é, de fato, um caminho para o sucesso. E isso é válido tanto para novas empresas como para empresas que já foram constituídas. E também as que sentem a necessidade de reestruturar o seu negócio.

como estruturar uma empresa

Não se trata, porém, de um caminho simples ou rápido. Como todo empreendedor deseja que sua empresa gere excelentes resultados e faça isso de uma maneira eficiente, é preciso gastar tempo e investir recursos para possuir uma boa estrutura de gestão e de atuação no mercado.

Nesse artigo não tratamos de algo “mágico” ou de passos fáceis para estruturar uma empresa. Mas queremos abordar a essência dessa questão: o que deve ser objeto de atenção e cuidado dos empreendedores e gestores para que uma empresa seja bem estruturada e alcance o sucesso.

 

COMO ESTRUTURAR UMA EMPRESA

 

Para um novo negócio, é fundamental uma estruturação inicial que permita à empresa, ao mesmo tempo, ter a flexibilidade necessária para responder às demandas do mercado e à realidade de uma empresa em seu estágio inicial, mas também ter uma estrutura que permita crescer de maneira sólida e segura.

Estruturar uma empresa não diz respeito apenas a ações rápidas que podem ser realizadas, mas principalmente à essência do negócio: o que se pretende? Aonde a empresa quer chegar? O que é esperado a nível mercadológico? Ou seja, realizar uma boa estruturação está, em primeiro lugar, relacionado ao negócio que está sendo empreendido.

Ainda que existam semelhanças entre todos os tipos de empresas (toda empresa demanda pagar contas, emitir cobranças, gerenciar os funcionários, captar novos clientes, entre outras atividades comuns), há também aquilo que é próprio de cada negócio, e este último é o principal. Há negócios que demandam uma flexibilidade maior, enquanto há outros que demandam um maior controle. Há empresas que oferecem soluções inovadoras, outras que atuam em mercados já bem estabelecidos.

E tudo isso interfere na forma de estruturar uma empresa. Portanto, o primeiro passo para uma boa estruturação está muito mais relacionado às questões estratégicas, e não estruturais. É a sua estratégia e os seus objetivos que determinarão como a empresa deve ser estruturada.

planejamento

 

A NECESSIDADE DE REESTRUTURAR UMA EMPRESA

 

Há ainda outro cenário: uma empresa já estabelecida no mercado, ao fazer uma análise do seu negócio, percebe que este precisa ser reestruturado, a fim de obter resultados mais satisfatórios. Assim, a pergunta poderia ser: como reestruturar uma empresa?

Também nesse caso continua sendo importante conhecer e determinar os objetivos e a estratégia de atuação, mas aqui se torna fundamental realizar um profundo diagnóstico de como está a empresa atualmente. Reestruturar uma empresa demanda um cuidado ainda maior pois trata-se de um negócio que já está em operação. Isso significa que as mudanças que serão realizadas ocorrerão ao mesmo tempo em que o trabalho cotidiano acontece.

É preciso identificar o que, de fato, está abaixo das expectativas, realizar uma boa análise das causas e desenvolver um planejamento apurado para solucionar essa situação, a fim de que a implantação das mudanças ocorra de maneira tranquila. É importante perceber, portanto, que estruturar (ou reestruturar) uma empresa está muito mais relacionado à capacidade de identificar o problema, analisá-lo e gerar as soluções do que com algumas ações práticas (as quais são fundamentais, mas possuem um efeito mais concreto quando bem preparadas).

 

A ATENÇÃO PARA A GESTÃO

 

No que diz respeito à gestão, é fundamental, ao estruturar uma empresa, ter em vista as boas práticas gerenciais e adotar posturas, procedimentos e políticas que estejam adequadas aos objetivos e ao tipo de negócio. Uma empresa é um organismo vivo onde tudo está interligado.

Cada departamento e atividade que ela realiza estão vinculados a outro departamento ou atividade. Além disso, uma empresa é formada por pessoas, sendo que essas utilizam sistemas, ferramentas, equipamentos e demandam uma estrutura para o seu trabalho. E tudo isso precisa ser gerenciado. Também o que ocorre fora da empresa e que de alguma forma afeta os negócios precisa ser gerenciado.

Saber como estruturar uma empresa está relacionado a conseguir gerenciar diversas atividades, pessoas, situações e recursos para que tudo caminhe na direção dos objetivos almejados. A dificuldade maior, portanto, para estruturar uma empresa gerencialmente não está nas ações para estruturar, mas sim em enxergar toda essa teia de relações que perpassa a empresa e conseguir sincronizar da melhor forma tudo isso. Vale ainda lembrar que tudo isso está em contínua mudança.

planejamento estratégico

Isso significa que, ainda que existam momentos (eventos isolados) em que uma empresa necessite ser estruturada ou reestruturada gerencialmente, na verdade continuamente ela precisa se adaptar para continuar competitiva no mercado.

 

O CUIDADO COM OS ASPECTOS DO MERCADO

 

Outro fator de extrema importância no momento de estruturar uma empresa é o mercado. Há um engano muitas vezes cometido que, ao pensar sobre como estruturar uma empresa, são levadas em consideração apenas as questões internas e gerenciais, não dando a devida importância sobre como o mercado pode impactar.

Vale aqui lembrar que uma empresa não existe para si e não está isolada no mundo. Toda empresa está inserida em um ambiente competitivo e continuamente é influenciado e influencia esse ambiente. Isso significa que é preciso levar em consideração como as características do mercado exigem. Ou trazem oportunidades no que diz respeito à estruturação empresarial.

Sua empresa realmente conhece os concorrentes? Conhece a fundo os consumidores e clientes? Sabe dizer quais são as tendências de consumo? E em meio a tudo isso, qual a estratégia da sua empresa para crescer? Ter clareza e profundidade sobre essas questões influencia diretamente na maneira como uma empresa deve ser estruturada.

Tudo isso demonstrar que estruturar ou reestruturar uma empresa não é uma tarefa fácil. Exige conhecimento, experiência e dedicação. Vale ainda considerar que, principalmente em empresas já atuantes no mercado, a estruturação (ou reestruturação) ocorre em meio às demais atividades da empresa, o que dificulta o alcance dos resultados esperados.

Por isso, um bom caminho é contar com o auxílio de uma consultoria empresarial.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: 5 passos para empreender com sucesso.

Potencial de Mercado: como calcular e analisar

Conhecer o potencial de mercado e saber analisá-lo é indispensável para o sucesso do seu negócio. A questão é que muitas gestões ainda não reconhecem a importância dessa análise ou mesmo não sabem como realizá-la.

 

Por isso, decidimos criar esse post para detalhar o conceito de potencial de mercado. Além disso, mostrar como você pode reconhecer sua situação e entender mais sobre como seu negócio pode se expandir e se consolidar.

O potencial de mercado pode ser avaliado sob duas perspectivas. A primeira delas diz respeito a quanto um determinado negócio é capaz de produzir ou vender dentro de um período de tempo estabelecido. Já a segunda diz respeito ao mercado em si. E trata de quanto dinheiro um segmento da economia tem em mãos para gastar, especialmente, com seu negócio. Naturalmente, essas duas visões estão totalmente ligadas, pois não basta a empresa ter capacidade de produzir e vender sem que o mercado tenha dinheiro para comprar.

 

Para calcular seu potencial de mercado, é preciso começar entendendo mais sobre seu público. Qual é a quantidade de consumidores que você pode atingir no mercado?

 

Este é um fator fundamental do cálculo do mercado potencial. Partindo para um exemplo prático, imagine que seu negócio ofereça serviços de conexão de internet para empresas. Nesse caso, para entender a quantidade provável de consumidores é preciso considerar que:

 

em 2013, 97% das empresas brasileiras já utilizavam o serviço de internet em algum nível.

Quanto seu mercado pode gastar? No mesmo exemplo, imagine que você ofereça conexões de altíssima velocidade e que, por isso, elas se tornam mais caras. Assim, é preciso ter em mente que nem toda empresa que usa internet dispõe dos recursos necessários para adquirir esse tipo de serviço. Nesse cenário, uma pesquisa em 2015 mostrou que o número de empresas que contratam velocidades acima de 1Mbps é de 48%, em média. Com isso, nesse momento seu potencial de mercado não é de 97% das empresas brasileiras e, sim, de menos de 50% delas.

potencial de mercado

POTENCIAL DE MERCADO E DE VENDAS SÃO A MESMA COISA?

 

Na hora de calcular  o potencial de mercado é muito importante ter em mente que ele não é o mesmo que potencial de vendas. O potencial de vendas corresponde à projeção. Esta, baseada em diversos fatores, do quanto você pode ou pretende vender em um determinado momento.

 

Uma pesquisa de potencial de mercado, por outro lado, pode ser entendida como o cenário em que todos os clientes disponíveis efetivamente convertem. O que, é claro, não acontece. Com isso, o potencial de vendas é sempre menor do que o potencial de mercado.

 

Analisar o potencial de mercado é fundamental para entender a situação da empresa. E, para essa análise, deve-se levar em conta a capacidade do mercado consumidor e a capacidade de oferta da empresa.

 

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: Marketing e Vendas: como aliar para alavancar a receita.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5 passos para empreender com sucesso

Como empreender e definir uma startup 100%? Certamente não é através de conquistas isoladas como notoriedade na mídia, altos investimentos, grandes lucros e escalabilidade crescente.

O sucesso de uma empresa desse tipo é a soma de tudo isso mais a dedicação do empreendedor e a crença em uma ideia que ganhará o mercado. Mas para chegar ao topo é preciso trabalhar, não somente de forma árdua mas também de maneira inteligente.

E você, já sabe como ter uma startup 100%? Confira a seguir os passos que nortearão seu trabalho daqui em diante:

 

PLANEJAMENTO DO NEGÓCIO

 

Uma startup 100% começa com a preocupação dos empreendedores em construir um planejamento sólido, capaz de prever certos problemas, custos e faturamento para, com isso, conseguir construir um modelo de negócios viável.

A principal característica nesse aspecto é que tão importante quanto planejar é estar disposto a alterar o desenho inicial, reconhecendo os erros e aprendendo com eles. Empreendedores de sucesso podem até acertar na primeira tentativa, mas sabem que sempre é preciso mudar e inovar para obter melhorias no modelo de negócios.

 

empreender

VALIDAÇÃO DE HIPÓTESES

 

Colocar sua ideia em prática é a melhor maneira para testar as hipóteses levantadas pelo empreendedor de uma startup na fase de planejamento. Através do contato com possíveis clientes, parceiros e fornecedores é que será possível criar modelos e protótipos apurados.

Um empreendedor de sucesso está antenado com a opinião de pessoas de fora da empresa, que conseguem perceber o valor da sua solução sem a visão de quem a criou. É fundamental para o sucesso da empresa que ele esteja aberto a novas ideias, melhorias e críticas. Também é importante lembrar que comentários negativos ao seu modelo não devem ser tomados como críticas pessoais, saiba separar as coisas. E se a hipótese não for validada, não se dê por vencido. É sempre hora de reformular o planejamento.

 

CONQUISTA DO PRIMEIRO CLIENTE

 

Muitos empreendedores estabelecem metas para a sua empresa: grande aquisição de clientes, milhões em faturamento, fatias do mercado, dentre outras. Mas poucos percebem que o mais importante é conseguir o primeiro cliente. O primeiro cliente deve ser um marco para o empreendedor. É a confirmação de tudo que ele fez até agora, planejamento, validações, testes. Ainda que o sucesso esteja na conquista de muitos clientes, tudo começa com o primeiro. A partir dele um empreendedor de sucesso terá resultados reais para continuar crescendo.

 

crédito

LIDAR COM A ESCALABILIDADE

 

Tomar conta da escalabilidade de uma startup é uma fase crucial para o negócio como um todo. É neste momento que contratações são feitas, que problemas com clientes começam a aparecer e que seu produto ou serviço começa a ganhar valor.

É nesta fase também que qualidades como liderança e visão estratégica começam a se destacar em um empreendedor de sucesso. Entre aqueles que não nasceram com elas, é fundamental encontrar meios para desenvolvê-las. É nesta fase também que startups podem dar errado caso não haja um sério controle da sua gestão.

FOCO NA GESTÃO EMPRESARIAL

 

A busca pela excelência na gestão empresarial deve ser a meta de um empreendedor de sucesso. Dessa forma será possível competir no mercado mesmo com empresas maiores.

O problema da gestão é que o empreendedor precisa aprender a ler uma porção muito grande de dados, análises e relatórios de forma ágil. Assim, utilizar softwares de gestão que facilitem todo o processo certamente trará vantagens competitivas e, principalmente, maior produtividade e melhores decisões. Unir ferramentas de gestão com planejamento e liderança irão auxiliar muito no crescimento da sua startup.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: 15 ideias de negócio que prometem sucesso em 2018.

cotação de preços

5 dicas para uma boa cotação de preços

Uma boa cotação de preços em gestão de compras é fundamental para o sucesso do negócio. Neste artigo vamos mostrar que o setor de compras é muito mais do que um mero desempenhador de questões burocráticas. É preciso que ele ajude a impulsionar e colabore com os resultados da empresa, tornando-se, assim, uma posição estratégica dentro da organização.

cotação de preços

O QUE É UMA COTAÇÃO DE PREÇOS

 

Cotação e tomada de preços têm significados parecidos, mas não se referem apenas ao valor monetário de um produto. As duas expressões estão ligadas à busca de informações concretas sobre um produto ou um serviço antes da compra ou da contratação.

Além do valor em espécie, são avaliadas as condições, a qualidade, as características, as marcas e a possibilidade de contrapropostas. Em última análise, a empresa lança no mercado a solicitação de cotação de preços e recebe as propostas das empresas fornecedoras, sempre contendo preço, prazo, formas de pagamento e características do serviço ou do produto. Todas essas informações chegam documentadas.Qual é o impacto da cotação de preços nos gastos de uma empresa Uma equipe bem preparada, saberá analisar a qualidade do produto, se os prazos são adequados para a realidade interna da empresa e se os preços são justos, sempre considerando o custo-benefício de cada decisão.

Se a cotação for benfeita, antes de economizar financeiramente, a empresa será capaz de entregar produtos ou serviços de qualidade e, principalmente, satisfazer o cliente. Isso evitará trocas, utilização de garantias e a necessidade de refazer serviços mal concluídos.

DICAS PARA UMA BOA COTAÇÃO DE PREÇOS

Seguem algumas dicas que podem ajudar a sua empresa a melhorar a cotação de preços.

 

NEGOCIAÇÃO DE VALORES.

 

O importante é não aceitar o primeiro valor como definitivo, mesmo se for da empresa que forneceu a menor cotação, pois é comum jogar o preço para cima para ter margens de negociação. Antes de mais nada é preciso analisar pelo menos 3 cotações. Menos que isso existe grande chance de pagar mais caro por um produto que pode ser encontrado por condições mais em conta.

 

FECHAMENTO DE GRANDES COMPRAS

 

Quem compra mais garante descontos maiores e pode economizar no orçamento — sem contar que aumenta o poder de barganha. Nesse caso, sempre que tiver um orçamento mais livre é possível fazer uma compra maior para sobrar mais na frente.

reforma trabalhista

Logicamente é preciso conhecer a necessidade do serviço e a aceitação do produto no mercado. Caso contrário, a chance de ficar com produtos encalhados aumenta.

 

PARCERIAS

 

Firmar parcerias ajuda em situações de urgências. Se a equipe conhecer bem os preços praticados no mercado, é possível encontrar um preço justo dentro dessas parcerias. Sem contar que trocar de fornecedor a cada cotação não possibilita a criação de laços de confiança.

 

CONTRATOS EM LONGO PRAZO

 

Os contratos em longo prazo são importantes na hora de negociar prazos e descontos. Além disso, é possível estipular cláusulas que garantam a qualidade e uma possível quebra de contrato se um dos itens não for cumprido pelo fornecedor.

 

NÃO SE TORNAR DEPENDENTE

 

Mesmo com o fechamento de grandes contratos e com as parcerias atuais, uma gestão de compras eficientes não pode se dar ao luxo de ficar dependente desses fornecedores.

Em primeiro lugar porque mudará o lado da negociação e não será mais capaz de negociar preços, prazos e qualidade. Por isso, não é de bom tom sentar na comodidade de contratos antigos, mesmo que eles estejam cumprindo com o prometido e com a necessidade da empresa.

tomada de preços

Buscar outras cotações abre o leque de possibilidades e evita contratempos quando o fornecedor não puder atender. Veja que a cotação de preços é fundamental para o desenvolvimento sustentável do negócio e por isso precisa de uma gestão eficiente e de uma equipe preparada.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: 5 C’s do crédito: o que são e como aplicar no seu negócio.

Marketing e Vendas: Como aliar para alavancar a receita

Com o Marketing Digital, a situação mudou drasticamente. Hoje, a área de Marketing pode e deve contribuir significativamente para a geração de leads conversão em clientes.

Do outro lado da equação, se a área de Vendas agora não precisa contar apenas com seus próprios esforços de prospecção para gerar as oportunidades necessárias para bater seus números. Precisa, entretanto, ter um alinhamento muito maior com Marketing para garantir eficiência, produtividade e escala nessa relação. Essas áreas precisam falar a mesma língua e saber o que esperar uma da outra.

Neste artigo, vamos ilustrar 5 pontos para se fazer um bom alinhamento entre essas duas funções em nome do crescimento da empresa:

CONCORDAR NA TERMINOLOGIA:

O primeiro passo é definir o que é um lead qualificado para a empresa – em suma, um lead que o Marketing possa passar para Vendas fazer a abordagem. Essa qualificação, usualmente, é dada tanto por critérios relacionados ao perfil do lead. Ou seja, o quanto ele se aproxima do “cliente ideal” da empresa (ex: segmento, cargo, tamanho da empresa, região), quanto por outros relacionados ao interesse do lead. Isto é, o quanto o lead demonstra estar “maduro” para comprar seu produto/serviço.

Exemplos: tipo de conversões no site, tempo e número de interações com a empresa, palavras-chave usadas em pesquisas)

DEFINIR METAS DE GERAÇÃO DE LEADS QUALIFICADOS:

A ideia aqui é calcular de trás para frente: sabendo o quanto a empresa quer e pode crescer, quanto em novas receitas deve conquistar?

Isso significa quantas novas vendas(considerando o ticket médio histórico para novos clientes)?

Sabendo a eficiência dos vendedores, quantas oportunidades devem ser trabalhadas para se chegar a esse número de novos clientes?

E, por fim, quantos leads qualificados devem ser gerados mensalmente pelo Marketing e repassados para Vendas para se ter essas oportunidades reais?

DEFINIR UM “ACORDO DE SERVIÇO” ENTRE AS ÁREAS:

Cada área deve tratar a outra como um cliente interno. O que é comum é o Marketing comprometer-se, além da meta de leads qualificados, com uma velocidade de entrega desses leads ao longo do mês. Como no formato “passagem de bastão”.

marketing e vendas

Enquanto isso, Vendas se compromete com um tempo máximo de resposta / atendimento a esses leads. Além de um número mínimo e máximo de tentativas de abordagem. E, por último, uma forma de devolução para o Marketing se o lead ainda não está preparado.

COMBINAR FEEDBACK:

É importante ter conversas frequentes entre as áreas para melhorar a prática no dia-a-dia e, se for o caso, reavaliar critérios.

Exemplo: vendedores podem realimentar o Marketing com informações sobre tipos de leads que convertem (compram) melhor que outros. Enquanto os profissionais deste setor podem informar sobre os tipos de conteúdo que têm maior sucesso (correlação com vendas). Isso serve para os vendedores usarem para educar seus clientes ao longo do processo de compra.

AUTOMATIZAR CAMPANHAS DE NUTRIÇÃO DE LEAD:

Identificando corretamente os diferentes tipos de leads e os estágios de compra, com o auxílio de uma ferramenta adequada, é possível pré-configurar diversas campanhas automatizadas de nutrição dos leads. Além de auxiliar o Marketing a gerar um maior número de leads qualificados mensalmente (e então alcançar mais facilmente as metas acordadas), essas campanhas também permitem que os vendedores possam focar nos leads que estão mais “quentes”. Depois, deve devolver os outros para serem retrabalhados pelo Marketing sem correr o risco de perder oportunidades.

O processo pode parecer complexo, mas é possível começar com algo bem simples. Mesmo que a sua empresa tenha apenas uma pessoa no Marketing e outra em Vendas. Se aplicado corretamente, tem potencial de alavancar fortemente as receitas. Tanto para as empresas com processos de venda por prospecção bem estabelecidos, quanto para aquelas que ainda contam exclusivamente com o boca-a-boca para crescer.

 

Gostou do artigo?

Deixe suas dúvidas nos comentários e te ajudaremos. Você pode também solicitar um diagnóstico e orçamentos gratuitos para um projeto de consultoria através do nosso formulário para contato, clicando aqui, ou dos telefones (71) 3245-0757 e (71) 9 8604-0241.

Quer Saber Mais?

Inscreva-se em nossa newsletter (clicando aqui) ou veja mais dos nossos conteúdos na página do nosso BLOG (clique aqui). Sugerimos que você CONHEÇA: 6 dicas para formar uma equipe de vendas de alta performance.